AVC na População Sénior

O acidente vascular cerebral (AVC) é uma doença grave que surge subitamente e que exige uma rápida adaptação de toda a família. Parte da população sénior que sofre um AVC precisa de um longo período de reabilitação antes de recuperar a sua independência, enquanto outra parte nunca se recupera totalmente e precisa de apoio contínuo.

Actividades simples como comer, vestir, limpar, podem ser difíceis tanto para o familiar sénior que sofreu o AVC, que se vê com mobilidade e memória reduzidas, quanto para a família por ter de reajustar toda a dinâmica familiar.

O AVC resulta da lesão das células cerebrais pela ausência de oxigénio e de nutrientes na sequência de:

  • uma inundação de sangue resultante de uma artéria que se rompe (AVC hemorrágico);
  • ou, resultante de um bloqueio do fluxo de sangue (AVC isquémico).

“O AVC é considerado uma emergência médica, devendo ser tratado o mais rápido possível com vista a minimizar as lesões cerebrais. Esta é a principal causa de morte e incapacidade em Portugal e, no mundo estima-se que 1 em cada 6 pessoas terá um AVC.

Os principais sintomas do AVC são:

  • Alteração/ fraqueza ao nível do rosto, braço ou perna, especialmente de um dos lados do corpo;
  • Dificuldades ao nível da fala, linguagem, visão, locomoção;
  • Dor de cabeça forte sem causa aparente.

Após o AVC, torna-se essencial:

  • Iniciar a reabilitação o mais rápido possível, com recurso a profissionais especializados, ao domicilio, em clínicas ou nos Lares de Idosos e Residências Sénior, que ajudarão o idoso e os familiares a lidar com toda a situação;
  • Estimular o familiar sénior a realizar os exercícios ensinados pelo fisioterapeuta, não só durante as sessões de fisioterapia como durante o dia;
  • Dar autonomia ao idoso, de forma que o mesmo vá reestabelecendo a confiança em si próprio;
  • Estar atento aos problemas cognitivos mais comuns após um AVC, como é o caso da ansiedade e depressão, procurando ajuda de um profissional qualificado;
  • Incentivar e elogiar qualquer melhoria/ conquista, por menor seja, do familiar idoso, tentando ao máximo não exercer pressão sobre o mesmo.

Em suma, a experiência de cuidar de um familiar idoso que sofreu um AVC pode ser muito intensa e difícil, sendo comum surgirem muitas dúvidas relativas à doença e aos cuidados adequados para esta situação. Estar informado e procurar ajuda profissional, é a melhor forma de ajudar o familiar idoso.

A grande maioria das Residências Sénior e Lares de Idosos dispõe de profissionais que prestam um serviço completo de reabilitação de AVC, proporcionando uma melhoria de qualidade de vida e do bem-estar de todos os intervenientes!

Entre em contacto connosco submetendo o seu pedido (AQUI) ou contacte-nos através do 919992898 ou geral@lusosenior.com.

Fonte: www.nhs.uk/

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicione um Comentário