DGS dispensa Isolamento Profiláctico para Idosos que se ausentem de Residências Sénior por mais de 24 horas

A Direcção Geral de Saúde definiu novos procedimentos para Estruturas Residenciais para Idosos, Unidades de Cuidados Continuados Integrados, Estruturas Residenciais para Pessoas com Doença Psiquiátrica e aquelas que acolhem pessoas com Deficiência e Incapacidade.

Na mais recente orientação da DGS, ficou estabelecido que idosos que vivam em Residências Sénior, ou similares, e que se ausentem por períodos superiores a 1 dia, já não sejam obrigados a cumprir quarentena profiláctica de 14 dias. Esta dispensa abrange os residentes que tenham cumprido os critérios de isolamento nos últimos 3 meses e/ ou que tenham completado o plano de vacinação contra a COVID-19.

Até à saída desta nova orientação da DGS, os utentes que se ausentassem de Residências Sénior por um período inferior a 24 horas não precisavam de cumprir isolamento profiláctico nem de testar contra a COVID-19, embora os que se ausentassem por períodos superiores já o necessitassem.

Quanto aos casos de novas admissões em Residências Sénior, ou similares, esta nova orientação continua a prever que seja necessário testar negativo para a COVID-19, para utentes que não tenham sido infectados nos últimos 3 meses. Idosos que ainda não tenham sido vacinados contra a COVID-19 continuam, no entanto, a necessitar de cumprir quarentena profiláctica (mínimo 14 dias), em novas admissões.

Nesta nova orientação da DGS, é ainda referido que:

Em situações em que o teste laboratorial não possa ser realizado antes da admissão na instituição, o novo residente/utente deve ficar em isolamento e realizar o teste com a maior brevidade possível, sendo o seu encaminhamento realizado em função da evolução clínica e do resultado do teste laboratorial.

Fonte: https://www.lusa.pt/

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicione um Comentário